formação

site_2015_Vollmond_FotoHoelting_1295c.jpg

masterclass

TANZTHEATER WUPPERTAL

PINA BAUSCH

Encounter with Julie Anne Stanzak

04 DEZ’21
Online // via Zoom
sáb 09h30 às 12h00

inscrições até dia 30 de novembro

através producao@pauloribeiro.com

público-alvo profissionais, não-profissionais e estudantes de dança maiores de 16 anos

lotação limitada 30 participantes | Acesso gratuito

O programa de masterclasses online da Companhia Paulo Ribeiro regressa em dezembro, desta vez na companhia de Julie Anne Stanzak, da Tanztheater Wuppertal Pina Bausch. 

A coreógrafa convidada para este encontro é membro permanente do ensemble da companhia de Pina Bausch desde 1986 e dançou em mais de 30 peças desta coreógrafa.

Neste sábado, partilhará com todos os participantes a sua experiência e percurso como bailarina com esta coreógrafa que a arrebatou há mais de 3 décadas. “Achei as ideias e a maneira como Pina e seus bailarinos comunicavam incrivelmente comoventes. Eu estava particularmente interessada na investigação de Pina sobre a humanidade e todas as suas profundezas.” 

Biografia 

Julie Anne Stanzak, nasceu em Charlotte, Carolina do Norte, e cresceu em Nova Orleans, uma cidade vibrante e multicultural que a moldou. Ainda criança, teve aulas de ballet e frequentou cursos de verão leccionados por dançarinos e coreógrafos de renome. Mudou-se para Minneapolis com os pais, onde continuou a sua formação em ballet numa companhia que seguia o método de ensino russo. Também frequentou a Children’s Theatre Company of Minneapolis, onde estudou Teatro e onde atuou em diversas produções escolares. Em 1976 foi para Chicago, onde dançou com o Chicago Lyric Opera Ballet com direção de Maria Tallchief, ao longo de 3 anos. Tallchief tornou-se uma mentora importante na sua vida. Julie Anne Stanzak foi então para a Europa onde fez audições para diversas companhias de dança. Rudi van Danzig convidou-a para ingressar no Het National Ballet de Amsterdão, onde permaneceu de 1979 a 1986.

Durante esse tempo, Pina Bausch e seu Tanztheater apresentavam-se com frequência em Amsterdão. Em 1982, quando ensaiavam Walzer para o Holland Dance Festival, Julie Anne Stanzak observou o processo de criação da coreógrafa. Ficou emocionada com o conjunto e sua atmosfera única. “Achei as ideias e a maneira como Pina e seus dançarinos comunicavam incrivelmente comoventes. Eu estava particularmente interessada na investigação de Pina sobre a humanidade e todas as suas profundezas.” Em Nova York em 1985, durante uma digressão pelo Tanztheater Wuppertal, Julie Anne Stanzak encontrou Pina Bausch novamente, fez uma audição e foi aceite na companhia. É membro permanente do ensemble desde 1986 e dançou em mais de 30 peças de Pina Bausch. “Pina era uma mestre, uma exploradora de desejos e ela valorizava-te como pessoa.”

Hoje, Julie Anne Stanzak trabalha com instituições de dança e teatros em toda a Europa, EUA e Japão, ensinando e criando novas peças. Trabalha com pessoas com deficiência, nomeadamente no Teatro RambaZamba em Berlim, no Teatro La Ribalta - Arte da Diversidade em Bolzano e na Compagnie L'Oiseau Mouche em Roubaix. Está convencida de que “um ser humano é uma fonte inesgotável de beleza - todo o ser humano, não importa qual seja sua história”.